Conta-se que certo caipira estava no seu trabalho rotineiro, num canavial, quando, de repente, viu brilhar três letras no céu: VCC. Muito religioso, o caipira julgou que aquelas letras significavam: “Vai Cristo Chama”. Fiel à visão correu ao pastor de sua Igreja e contou-lhe o ocorrido, concluindo que gostaria de devotar o restante de sua vida à pregação do evangelho. O pastor, surpreso diante do relato, disse:

— Mas para pregar o evangelho, é preciso conhecer a Bíblia. Você conhece a Bíblia o bastante para sair  pelo mundo pregando a sua mensagem?

— Claro que sim! – Disse o homem.

— E qual é a parte da Bíblia que você mais gosta e conhece?

— As parábolas de Jesus, principalmente a do bom samaritano.

— Então, conte-a! – Pede o pastor, querendo conhecer o grau de conhecimento bíblico do futuro pregador do evangelho.

O caipira começa a falar:

“Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu entre os salteadores. E ele lhes disse: Varões irmãos, escutai-me: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. E entregou-lhes os seus bens, e a um deu cinco talentos, e a outro, dois, e a outro, um, a cada um segundo a sua capacidade.

“E partindo dali foi conduzido pelo Espírito ao deserto, e tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, teve fome, e os corvos alimento lhe traziam, pois alimentava-se de gafanhoto e mel silvestre. E sucedeu que indo ele andando, eis que um carro de fogo o ocultou da vista de todos. A rainha de Sabá viu isso e disse: ‘Não me contaram nem a metade’.

“Depois disso, ele foi até a casa de Jezabel, a mãe dos filhos de Zebedeu, e disse: ‘Tiveste cinco maridos, e o homem que agora tens, não é teu marido’. E olhando ao longe, viu a Zaqueu pendura pelos cabelos numa árvore e disse: ‘Desce daí, pois hoje almoçarei na tua casa’. Veio Dalila e cortou-lhe os cabelos, e os restos que sobraram foram doze cestos cheios para alimentar a multidão. Portanto, não andeis inquietos dizendo: ‘Que comeremos?’, pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. E todos os que o ouviram se admiraram da sua doutrina.”

O caipira, entusiasmado, olhou para o pastor e perguntou:

— E então, estou pronto para pregar o evangelho?

— Olha, meu filho – disse o pastor – eu acho que aquelas letras no céu não significavam: “Vai Cristo Chama”. Antes, deveriam ser lidas: “Vai Cortar Cana”.

MORAL DA ESTÓRIA: Um conhecimento superficial das Escrituras poderá causar danos irreversíveis ao ministério, caso o mestre não leve em contar os fatores fundamentais para uma boa interpretação bíblica.

Achei aqui: http://www.agirbrasil.org/Apol_Geral/Estoria_VCC.html

Anúncios

“Um grande equívoco cometido pelos sociólogos da religião é o de por sob a mesma rubrica de “pentecostalismo” dois fenômenos distintos. De um lado, o pentecostalismo propriamente dito, tipificado, no Brasil, pelas Assembléias de Deus; e do outro, o impropriamente denominado “neopentecostalismo”, melhor tipificado pela Igreja Universal do Reino de Deus. Um estudioso propôs denominar essas últimas de pós-pentecostais: um fenômeno que se seguiu a outro, mas que com ele não se conecta, pois “neo” se refere a uma manifestação nova de algo já existente. Correntes de sociologia argentina já os denominaram de “iso-pentecostalismo”: algo que parece, mas não é. Lucidez e coragem teve Washington Franco, em sua dissertação de mestrado na Universidade Federal de Alagoas, quando classificou o fenômeno representando pela IURD de “pseudo-pentecostalismo”: algo que não é. Um estudo acurado dos tipos ideais, Assembléia de Deus e Igreja Universal do Reino de Deus, sob uma ótica sociológica, ou uma ótica teológica, nos levará à conclusão que se trata de duas manifestações religiosas diversas, que não podem — nem devem — ser colocadas sob uma mesma classificação. Ao se somar, a partir do Censo Religioso, esses dois agrupamentos, tem-se um alto índice de “pentecostais”, constituídos, contudo, pelos que o são e pelos que não o são. Equiparar ambos os fenômenos não faz justiça à Igreja Universal e ofende a Assembléia de Deus.”

Excelente texto que encontrei aqui, Pentecostalismo, e que pode deve ser lido o restante aqui

Quem ainda não ouviu falar de tio Chico? Ele é simplesmente “o cara” – utilizando um jargão comumente usado quando se refere a uma pessoa que é tudo e mais um pouco. Já foi isso e aquilo e mais ainda. Fala e fala e fala, mas não prova nada. Se você já ouviu a testemunho dele, pode ter até se admirado pois tamanha é a convicção que demonstra em suas palavras. Se ainda não ouviu, NÃO PERCA SEU TEMPO e vá fazer coisas mais úteis, como orar, estudar a Palavra, ter um pouquinho mais de comunhão com Deus emfim, não ouça. Não vale a pena! Se ele estiver em sua cidade para alguma “apresentação”, será mais proveitoso você tirar o dia para passear com a família, visitar um parente distante e ficar longe, muito longe deste malandro.

Bom, não vou ficar escrevendo muito a respeito deste cidadão que não é digno de ser chamado cristão a não ser, claro, que de fato de arrependa de seus atos e se entregue a Cristo. Ai sim, terei o prazer de pegar em suas mãos e lhe chamar de irmão. Vou deixar um pequeno trecho de um texto que achei e que diz tudo. Não tenho mais nada a acrescentar, somente meu aval e total concordancia com o autor. O texto completo pode ser lido aqui: http://guerreirosdaluz.com.br/?p=148

“Quem assiste às piadas sem graça de programas como Zorra Total, A Praça é Nossa ou Show do Tom e conclui que o humor brasileiro vem padecendo de falta de criatividade precisa conhecer uma categoria nova de comediantes que atua em outras frentes. Padre Quevedo? Henri Cristo? Nenhum deles é páreo para o Pastor Francisco Vieira, que faz uma verdadeira romaria pelas igrejas evangélicas brasileiras narrando a saga do seu personagem mais famoso, o Ex-bruxo Tio Chico.

Para quem nunca ouviu falar no ex-bruxo Tio Chico, recomendo uma visita ao You Tube ou a aquisição, por R$ 25,00, de seus DVDs de testemunho. O preço é salgado, mas é riso garantido. Francisco teria nascido em 18 de setembro de 1960, estando no momento com 47 anos. Se os cineastas brasileiros fossem mais atentos, a sua vida renderia um longa-metragem capaz de deixar Steven Spielberg no chinelo. Forrest Gump não tem a mesma riqueza dramática.

Um truque ainda não desvendado é como Tio Chico fazia para sair do Brasil, só para atender aos caprichos da sua exigente mulher e, almoçar em Miami, e voltar no mesmo dia. Só para se ter uma idéia, o maior avião comercial do mundo, lançado após a era Tio Chico, chega a fazer 1.010 km por hora. De São Paulo a Miami, por exemplo, são 6.561 km. Para ir, sem escala, considerando o exato momento de embarque e desembraque da aeronave, Tio Chico e sua garota gastariam 13 horas para realizar este pequeno luxo. Considerando o passeio de táxi até o aeroporto, espera do vôo, revista, saída do aeroporto, entrada no restaurante, pedido e o ato de comer em si, no mínimo mais uma hora.

O maior troféu de Tio Chico é a apresentadora Xuxa, da Rede Globo (emissora que se valia de seus préstimos também). Ele garante que a Rainha dos Baixinhos realizou três pactos com o Coisa-Ruim, para se tornar famosa e rica. O generoso Tio Chico teria intermediado o negócio. Não se sabe quanto lucrou nesta transação.”

Vale a visita e leitura de todo texto. E você ai, vai ficar aceitando tudo que te ennfiam goela abaixo?

Oséias 4:6: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento…”

Não nasci na Assembleia de Deus; não converti na Assembleia de Deus; não fui ungido obreiro na Assembleia de Deus. Mas sempre admirei a AD como igreja e sempre tive o desejo de fazer parte de seu rol de membros. E hoje sou, graças a Deus. Meu processo de “migração” para a Assembleia de Deus não ocorreu da forma como imaginava, mas ocorreu. Foi a igreja que melhor me acolheu num dos momentos mais cruciais e tristes da minha vida. Foi ali que encontrei uma Palavra que me preencheu, me tocou e que tanto precisava naquele momento. É na Assembleia de Deus que estou e que pretendo ficar até a volta do Senhor Jesus!

Não é A igreja; não é uma igreja perfeita; está longe de ser uma igreja imaculada. Como em qualquer lugar que esta o homem, aqui também tem seus problemas e defeitos. Mas o que mais me chama a atenção é o fato de buscarem satisfazer a vontade de Deus. Erramos sim, mas tentando fazer o correto. Até chegar aqui já passei por alguns ministérios, alguns sérios outros que não passaram de meros “negócios de ocasião” – sim, eu já errei muito em acreditar em cada baboseira. Coisa que a gente faz quando ainda é inocente, novo na fé, e acha que todo mundo é santo! – e louvo a Deus pois com isso aprendi muito. Hoje, com uma visão um pouco mais apurada e um pouquinho de conhecimento da Palavra do Senhor e, é claro, com o discernimento do Espírito Santo, deixei de cometer alguns erros que cometia, deixei de acreditar em coisas que acreditava e aprendi a analisar melhor tudo o que me é fornecido.

Deixei, por exemplo, de achar que o fato de um culto com muito reteté, crente dançando prá lá e prá cá, linguas estranhas e mais um monte de coisa que vemos por aí, é sinal de que Deus está presente1. Em compensação caiu a ficha de que em todos os cultos ou reuniões, sejam com 2 ou 10 mil pessoas (ou  mais), Ele está presente (Mateus 18:20). Neste tempo aprendi a crer e confiar mais em Deus, a ser mais dependente do Senhor dentre outras coisas. Além das tantas que ainda estou aprendendo. Foi um tempo bom, graças a Deus!

Mas agora que estou AD, que por sinal faz pouco tempo, tenho aprendido ainda mais. Tenho crescido aos poucos, com um alimento que dá sustância, saúdavel e que faz bem! Tenho conhecido irmãos e irmã s que são verdadeiros exemplos dentro da Igreja e dos quais quero espelhar muita coisa. Tenho aprendido o verdadeiro significado de servir, da oração, da comunhão dos santos enfim, coisa que eu “achava” que sabia, agora tenho conhecido de verdade. Mas também, e infelizmente, tenho conhecido uma AD que eu nunca imaginava que existia: uma igreja política, com alguns líderes engessados, outros totalmente distantes da realidade da igreja enfim, a realidade da maior denominação do País.

Uma delas, e que me levou a escrever este post pois gerou uma dúvida, é com relação àqueles que fogem a regra. Aqueles que dizem que são mas não são; os rebeldes. Estava eu navegando pelo site da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (www.cgadb.com.br), o orgão que regula – ou deveria – a denominação em nosso País e ao acessar a seção “Nossa posição sobre“, buscando informações sobre um outro assunto, que inclusive quero tratar aqui no blog em outra ocasião, me deparei com algumas instruções a respeito da liturgia em nossas igrejas. Me deparei com o seguinte texto:

“Nós somos pentecostais clássicos, isso significa que somos modelos para os outros, são eles, portanto, eles é que devem aprender com as Assembléias de Deus e não nós com eles, em matéria de doutrina pentecostal. É muita falta de bom senso e de respeito para com nossa denominação copiar grupos neo-pentecostais que sequer sabemos quem são, nem de onde vêm e nem para onde vão.

A avalanche de igrejas neo-pentecostais com liturgias e crenças para todos os gostos, tem levado alguns de nossos líderes a se fascinarem por esses movimentos, imitando e copiando seu sistema litúrgico. Ora, quem pertence a nossa Igreja não está enganado, são crentes que sabem o que querem, que conhecem nossa doutrina, tradição, usos e costumes e com a nossa forma de adoração.”

Diante do exposto me surgiu a dúvida que quero deixar aqui em aberto para que, quem sabe, alguém que tenha a resposta a deixe registrada ou então pelo menos me indique o caminho de como conseguí-la. Pretendo, também, encaminhar esta dúvida para a própria CGADB.

Há atualmente um número expressivo de líderes assembleianos que tem adotado práticas dos movimentos neo-pentecostais alguns, inclusive, chegando a causar escândalos a irmãos ao se apresentarem estéticamente fora dos padrões da AD. Outros apresentando mensagens fora do contexto bíblico, mensagens em nada edificantes que mais parecem serem pregadas para agradar o povo, e não agradar a Deus. Qual a posição da Convenção quanto a isso? O que deverá ou deveria ser feito quanto a estes? Ou tudo vai ficar como está: exigindo-se muito de uns e nada de outros?

Desapareci, eu sei. Saí daqui um tempo, fui pra meu próprio domínio e mesmo lá fiquei um bom tempo sem postar nada. Foram vários os motivos que me afastaram do blog, mas estou voltando.

Este post é só o reinício e, querendo Deus, em breve teremos muita coisa nova por aqui. Continue a visitar e que o Senhor nos abençoe!

Estes dias tenho lido e meditado muito sobre o último livro do Antigo Testamento, o livro do profeta Malaquias. É um livro muito conhecido no meio evangélico, principalmente por parte de pastores que veêm em seus congregados verdadeiros cofres ambulantes, ou por parte daqueles que acham que Deus não passa de um barganhador. Sim, me refiro ao tão famoso “Malaquias 3:10“!

Malaquias foi o profeta responsável por trazer uma mensagem de arrependimento, de retorno para Deus anunciando assim, e com isso preparando o povo para a vinda do Messias. Ele fala principalmente acerca do afastamento e rebeldia por parte dos sacerdotes, então representantes de Deus na Terra. O livro apesar de pequeno, são apenas 4 capítulos, é rico em mensagens e exortações e pretendo trazer aqui, além de um breve estudo sobre os aspectos do mesmo, algumas mensagens que Deus tem colocado no meu coração.

No decorrer destes dias você vai encontrar aqui estas mensagens. Aguardo seu retorno e oro para que Deus nos conceda mensagens profundas, vindas da parte d’Ele. Até lá!

“Por isso cito aqui o orgulho deste corpo ministerial, que não compreende que Jesus não disse ao ladrão que ele deveria descer da cruz e cumprir tal doutrina para então ser salvo posteriormente. Antes, Ele o salvou porque aquele ladrão, olhando em seus olhos, o amou intensamente reconhecendo que Ele não era “um” rei qualquer, mas que ele era O REI JESUS. E mesmo que alguém venha dizer: “..mas a situação do ladrão foi uma exceção…”, pois bem meu meus irmãos, isso seria mais um motivo para acreditarmos que para amar, de forma plena, às vezes precisamos quebrar as regras. As regras do orgulho, as regras da doutrina humana e até as regras da própria razão, pois, de fato, nenhum destes sentimentos correspondentes destes últimos itens (orgulho, doutrina e razão), têm poderes suficientes para rasgar as nuvens e adentrar aos céus com a autonomia e a autenticidade dada por Deus ao mais nobre de todos os sentimentos….O AMOR. Por isso, meus caros, Jesus não se ateve a excepcionalidade da situação do ladrão, mas ao fato de que ali pregado, estava mais um ser humano….e onde há um ser humano, vale tudo pra salvá-lo – até deixar o trono e tornar-se como um mero mortal (como ele fez por nós).”

Navegando pela Internet encontrei este texto acima que faz parte da carta de desligamento de um irmão da Congregação Cristã no Brasil. O texto é fantástico e, apesar de expressar sentimentos particulares acerca de uma determinada denominação, contém verdades maravilhosas. Vale a leitura completa do mesmo que apesar de longo, merece ser lido até o final.

O texto se encontra aqui: http://ministeriodareforma.com.br/?p=35 – lamentavelmente a página foi tirada do ar 😦