Você já parou para pensar quanto vale sua vida? Talvez você ainda esteja na dúvida de onde veio, para onde vai, o que está fazendo aqui mas ainda que não tenha encontrado essas respostas, já pensou no fato de que sua vida custou, ou custa, algo?

Pode ser que esteja meio abatido, desanimado ou até mesmo depressivo seja qual for o motivo, mas eu tenho boas novas pra você. Sim, sua vida tem um preço e esse preço é altíssimo.

(mais…)

Ando meio entristecido com algumas coisas que vejo por aí. Pra ser sincero, muito entristecido. O respeito para com Deus acabou faz muito tempo (isso não é necessário dizer!) mas o que mais me incomoda é que até mesmo dentro das igrejas isso tem acontecido. J[a não se vê tanta reverência como antigamente (e olha que não sou tão velho assim).

Não quero aqui acusar ou julgar ninguém pois estes atributos pertencem ao diabo a a Deus, respectivamente. O que pretendo é apenas externar minha revolta e tristeza diante de tantos absurdos que andam acontecendo. É claro, sou homem e como tal estou sujeito aos mesmos erros.

Uma das coisas que mais me deixa indignado nos dias atuais é o fato de as pessoas – e eu digo isso me referindo a líderes religiosos – acharem que Deus é seu servo. Ou seja: Deus tem que me dar um carro/uma casa/uma esposa/um emprego/etc…  Ah, se Deus não fizer eu paro de ir à igreja(!). Meu Deus, quanta aberração!

Deus abençoa sim aos seus filhos e nisso Ele tem grande prazer. Entretanto existem princípios para isso, e princípios devem ser observados, seguidos.  Quer um exemplo bem prático? Vamos lá!

No capítulo 6 de Mateus, na primeira parte do versículo 33, Jesus conversando com seus discípulos os exortava exatamente sobre isto, dizendo: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça…”. No contexto deste relato vemos que o Senhor estava os orientando a respeito das inquietações da vida. Certamente havia no meio deles alguém preocupado com as contas a pagar, com os problemas cotidianos. Coisa normal de qualquer ser humano, mas o ponto crucial desta mensagem é justamente isso: crer que ao se viver uma vida de comunhão com Deus, buscando sempre em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça, o próprio Deus se encarrega de cuidar de nossa vida. Quero dizer com isso que ao se buscar uma vida com Deus, devo cruzar os braços e esperar as coisas acontecerem?

De maneira alguma, seria loucura eu incentivar tal coisa ou qualquer pessoa se dispuser a fazê-la. O que o Senhor nos ensina aqui é que eu não preciso brigar com Deus para obter algo, fazer chantagem emocional, ameaçá-Lo ou seja lá o que for mas ao contrário, tão somente ter uma vida de comunhão com Deus. Note bem que o Senhor Jesus ao se referir ao reino de Deus de imediato afirma que juntamente com este devemos buscar também sua justiça.

Trocando em miudos: o reino de Deus beneficia a mim, a justiça de Deus, aos que estão ao meu redor. Não adianta eu ter um viver santo com Deus, beneficiando somente a mim mesmo, se tenho agido injustamente com meus irmãos, amigos, vizinhos…

Já ví e ouvi vários pregadores, das mais diversas denominações pregarem mensagens baseadas neste versículo. Uma mensagem mais bonita que a outra. As pessoas se emocionam, choram mas todos, eu disse TODOS, se atêm somente na última parte do versículo, onde diz que todas as coisas nos serão acrescentadas. Mas quais são aqueles que estão dispostos a terem uma vida de compromisso, pagando o preço de seguir a Deus fielmente e, sempre, em primeiro lugar, buscar a Deus sobre todas as coisas? É aí onde o sapato aperta.

Tá afim de ser abençoado? Cansado de se preocupar com as situações da vida e não ver uma solução? Quer de fato viver uma vida próspera e cheia de bençãos para contar? Pague o preço! Mas que preço?

“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas”. Mateus 6:33

Ou prefere chantagear a Deus e correr o risco de, além de não conseguir a vitória, ficar de fora de Seu reino? Lembre-se: você sem Deus é nada, Deus sem você… continua sendo Deus!

Faça uma análise de sua vida, de seus atos e atitudes. Veja se o erro para tanto problema está em Deus ou em você mesmo.

Um grande abraço no amor d’Aquele que nos amor em primeiro lugar.

Imagine a seguinte cena (pode não ser muito difícil, pois muita gente tem passado por essa situação nos dias de hoje):

Você tem uma dívida enorme, de alguns milhares ou até mesmo milhões de reais. Impagável, uma vez que seu salário é a conta de arcar com suas despesas mensais. Você não consegue imaginar uma forma de liquidar esta dívida, na realidade não existe possibilidade alguma. Quando você menos espera, surge uma pessoa, até então totalmente desconhecida e se oferece para quitar toda a sua dívida e mais, lhe oferece um cheque em branco, para você gastar como quiser, quando quiser.

Você reluta por alguns momentos, tentando imaginar quem é essa pessoa, e o que ela estaria querendo em troca mas, como que lendo seus pensamentos, esta pessoa lhe diz que isso é um presente, ou seja, totalmente de graça. Você resolve aceitar o presente, ainda um pouco desconfiado. Essa pessoa à sua frente pega seu celular e liga para o banco, autorizando a transferência de um valor imensurável para sua conta.

Você chega a ficar meio zonzo com aquilo tudo, pensando ser um sonho (talvez um pesadelo!) até que seu gerente do banco te liga confirmando o depósito em sua conta. Pronto, o presente é real!

Pode até parecer uma história infantil, um conto de fadas ou alguma coisa assim. Certamente você já deve ter visto algo semelhante em algum filme, novela, seriado, leu em algum livro de ficção ou em qualquer outro lugar. Mas o que quero te falar neste momento, apesar de muito parecido com a estória acima, é algo muito real.

Nós todos, incluindo eu e você, temos uma dívida impagável diante de Deus. Essa dívida tem um nome: pecado (Romanos 3:23). Por causa desta dívida, a morte tem assolado a humanidade. Não me refiro à morte carnal, que esta todo mundo passará, mas a morte espiritual que nos afasta de Deus.

Nós nunca teríamos meios ou condições de quitar essas dívidas, por melhores que fossemos. Essa é uma dívida que não é paga com boas obras, com sacríficios, com dinheiro. Absolutamente nada pagaria nossa dívida!

Mas Deus, Ele mesmo, a quem nós devemos, sabendo dessa realidade providenciou um meio de “livramos a barra” com Ele e de quebra, ainda garantirmos a vida eterno ao Seu lado. Diz a Bíblia no evangelho de João, capítulo 3, versículo 16:

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

É algo parecido com a histórinha acima: Ele pagou nossas dívidas e ainda nos garantiu algo mais, que é a salvação, a vida eterna. Aleluia! Mas você deve estar se perguntando: e o que eu faço para pagar, ou merecer, tal presente? Aí é que está o grande mistério. Você não precisa fazer absolutamente nada para merecer tal “presente” de Deus. Até porque, pelos nossos pecados, o que mereceríamos era de fato o castigo, a morte (Romanos 6:23).

Basta você, por meio da fé, crer no sacrifício de Jesus e recebê-Lo como Senhor e Salvador de sua vida. Depois disso, após reconhecer que você é um pecador, que precisa do perdão de Deus e entregar Sua vida a Ele, é Deus mesmo quem providenciará nova vida para você. Sem sacrifícios, sem rituais, sem culpa.

O preço já foi pago. A escolha é sua: continuar devendo ou aceitar e viver nova vida?