No outro domínio (www.danilomiguel.com, que eu perdi devido ao fato de meu cartão de crédito ter expirado e não conseguir renovar a anuidade :() eu tinha algumas boa mensagens que infelizmente se perderam. Uma delas – por isso o “parte II” no título – era uma crítica aos que saem por ai abrindo igrejas achando que a Igreja não passa de um negócio lucrativo. Coisa que mais vemos nos dias de hoje… Infelizmente não consegui acesso nem a ela nem as demais para disponibilizar aqui.

Mas voltei ao assunto pois hoje de manhã ao abrir minha caixa postal me deparo com a seguinte mensagem:

Legalização de igrejas (?)

Achei interessante pois o serviço é completo: estatuto e ata de fundação, CNPJ, registro em cartório; como o email mesmo diz: LEGALIZAÇÃO COMPLETA!

Bom, como estou interessado em abrir uma igreja, ficar rico, famoso, alisar meus cabelos (ops, meus cabelos já são lisos!), ter um programa na televisão – ou melhor, ter um canal só pra mim – resolvi entrar em contato e obter maiores informações, inclusive procurando saber se o dono da “empresa” já pertence a alguma igreja ou não. Quem sabe ele não seja meu primeiro membro?!?

Mandei um email com o seguinte conteúdo:

“Prezado,

Recebi uma mensagem sua através do orkut falando acerca do seu trabalho de legalização de igrejas. O texto não é muito claro, mas pelo que entendi sua empresa cuida, inclusive, da constituição do estatudo e da ata de abertura. Está correta essa informação? Como funciona este trabalho? Me dê mais detalhes por favor, inclusive com valores se possível.

Mais uma questão, de cunho particular: você é evangélico? De qual igreja?

Abraço!”

Sinceramente achei que não teria resposta uma vez que é fato comum entre empresas que colocam um site na internet, disponibilizam um email para contato mas nunca responde a ninguém. Mas me enganei! Não muito depois recebo a resposta, qeu segue abaixo (vou postar um printscreen para não dar a impressão de que eu manipulei a resposta):

resposta

Ou seja, tudo o que eu preciso e mais um pouco por apenas R$ 840,00 e facilitado em 3x sem juros!!! Não preciso me preocupar com ata de fundação, isso quer dizer que nem preciso de gente pra abrir minha igreja. Não preciso pensar em um estatuto: eles criam para mim! Sabem até o que quero e deixo de querer pra minha igreja, que maravilha!

… [pausa para o suspiro] …

Que lamentável, isso sim… É claro que o texto acima, de um grande mal gosto concordo, não passa de uma ilustração de algo que é comum em nosso cotidiano. Cada dia surgem novas igrejas – eu ví outro dia na TV dizendo que só na cidade de São Paulo surgem duas novas igrejas todos os dias! – novas mentiras, novos enganos, novas heresias e o povo cada vez mais distante do Senhor. Onde vamos parar? Até quando isso vai persistir?

O que esperar de uma empresa que seu dono se diz membro de uma igreja e frequentador de outra? O que se espera de uma igreja fundamentada na mentira – ou você acha que o que eles estão fazendo é correto? Quais serão as pessoas que assinam essas atas de fundação? – qual a base bíblica para o estatuto dessas igrejas? Qual a mensagem pregada numa igreja dessas? O que se esperar de um líder desses?

E pensar que isso é somente o princípio…

“… Ora, vem, Senhor Jesus!” – Apocalipse 22:20

Anúncios

Conta-se que certo caipira estava no seu trabalho rotineiro, num canavial, quando, de repente, viu brilhar três letras no céu: VCC. Muito religioso, o caipira julgou que aquelas letras significavam: “Vai Cristo Chama”. Fiel à visão correu ao pastor de sua Igreja e contou-lhe o ocorrido, concluindo que gostaria de devotar o restante de sua vida à pregação do evangelho. O pastor, surpreso diante do relato, disse:

— Mas para pregar o evangelho, é preciso conhecer a Bíblia. Você conhece a Bíblia o bastante para sair  pelo mundo pregando a sua mensagem?

— Claro que sim! – Disse o homem.

— E qual é a parte da Bíblia que você mais gosta e conhece?

— As parábolas de Jesus, principalmente a do bom samaritano.

— Então, conte-a! – Pede o pastor, querendo conhecer o grau de conhecimento bíblico do futuro pregador do evangelho.

O caipira começa a falar:

“Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu entre os salteadores. E ele lhes disse: Varões irmãos, escutai-me: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. E entregou-lhes os seus bens, e a um deu cinco talentos, e a outro, dois, e a outro, um, a cada um segundo a sua capacidade.

“E partindo dali foi conduzido pelo Espírito ao deserto, e tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, teve fome, e os corvos alimento lhe traziam, pois alimentava-se de gafanhoto e mel silvestre. E sucedeu que indo ele andando, eis que um carro de fogo o ocultou da vista de todos. A rainha de Sabá viu isso e disse: ‘Não me contaram nem a metade’.

“Depois disso, ele foi até a casa de Jezabel, a mãe dos filhos de Zebedeu, e disse: ‘Tiveste cinco maridos, e o homem que agora tens, não é teu marido’. E olhando ao longe, viu a Zaqueu pendura pelos cabelos numa árvore e disse: ‘Desce daí, pois hoje almoçarei na tua casa’. Veio Dalila e cortou-lhe os cabelos, e os restos que sobraram foram doze cestos cheios para alimentar a multidão. Portanto, não andeis inquietos dizendo: ‘Que comeremos?’, pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas. E todos os que o ouviram se admiraram da sua doutrina.”

O caipira, entusiasmado, olhou para o pastor e perguntou:

— E então, estou pronto para pregar o evangelho?

— Olha, meu filho – disse o pastor – eu acho que aquelas letras no céu não significavam: “Vai Cristo Chama”. Antes, deveriam ser lidas: “Vai Cortar Cana”.

MORAL DA ESTÓRIA: Um conhecimento superficial das Escrituras poderá causar danos irreversíveis ao ministério, caso o mestre não leve em contar os fatores fundamentais para uma boa interpretação bíblica.

Achei aqui: http://www.agirbrasil.org/Apol_Geral/Estoria_VCC.html