Acabei de ler isto:

“Nesta última quarta-feira, dia 11, realizou-se na Igreja Universal do Reino de Deus, à Reunião dos Filhos de Deus com o estudo sobre o livro do Novo Nascimento do Bispo Macedo, na oportunidade o Espirito Santo ressaltou sobre a importância de seguirmos os caminhos do Senhor Jesus, lendo o livro das páginas 19 à 23, cujo tema principal era a Conversão. O Espirito de Deus, através do Pr. Luciano relatou a todos, que devemos abandonar as imundices destes mundos, tais como pensamentos errados, de dúvidas, de incredulidades e fazer tudo aquilo que Jesus nos ensinou e tem ensinado, que jamais devemos ficar na “Janela” olhando para a vida dos outros, mas sim cuidarmos da nossa, conservando o nosso coração e a nossa salvação. Após esta mensagem foi realizada a Busca ao Espirito Santo em que muitas pessoas tiveram a oportunidade de consertar-se e começar uma nova vida. Acredito que a mensagem passada ontem, serviu para muitas pessoas que encontravam-se com a Fé um pouco morna, quase fria.” – grifos meus.

É curioso notar que, além de tantas outras aberrações, agora vemos também que aos poucos a Bíblia vai sendo abolida da Igreja Universal do Reino de Deus. Tudo bem que o tal livro, pelo que me parece, até que tem alguns fundamentos bíblicos. Mas isso me baseando pelo que o autor do texto supracitado diz. Mas vale lembrar que, por exemplo, Alan Kardeck utilizou-se das Escrituras para autenticar (ou querer autenticar!) o espiritismo.

Onde chegaremos?

Link para o texto original: http://adrianoliveira.wordpress.com/2009/02/12/uma-quarta-feira-memoravel/ – note o título da poastagem: “quarta-feira memorável” (???)

[update]Imediatamente após a publicação deste post o link original bem como o título do post foram alterados. Novo link: http://adrianoliveira.wordpress.com/2009/02/12/uma-quarta-feira-marcante/%5B/update%5D

Anúncios

“A coisa tá feia, a coisa tá preta. Quem não for filho de Deus, tá na unha do capeta.”

Era mais ou menos assim que dizia a letra de uma “moda de viola” muita famosa antigamente – e olha que não sou tão antigo assim. E realmente a letra desta canção, diga-se de passagem secular, está mais atual que nunca. E eu me refiro, claro, à Igreja. (mais…)