Quem ainda não ouviu falar de tio Chico? Ele é simplesmente “o cara” – utilizando um jargão comumente usado quando se refere a uma pessoa que é tudo e mais um pouco. Já foi isso e aquilo e mais ainda. Fala e fala e fala, mas não prova nada. Se você já ouviu a testemunho dele, pode ter até se admirado pois tamanha é a convicção que demonstra em suas palavras. Se ainda não ouviu, NÃO PERCA SEU TEMPO e vá fazer coisas mais úteis, como orar, estudar a Palavra, ter um pouquinho mais de comunhão com Deus emfim, não ouça. Não vale a pena! Se ele estiver em sua cidade para alguma “apresentação”, será mais proveitoso você tirar o dia para passear com a família, visitar um parente distante e ficar longe, muito longe deste malandro.

Bom, não vou ficar escrevendo muito a respeito deste cidadão que não é digno de ser chamado cristão a não ser, claro, que de fato de arrependa de seus atos e se entregue a Cristo. Ai sim, terei o prazer de pegar em suas mãos e lhe chamar de irmão. Vou deixar um pequeno trecho de um texto que achei e que diz tudo. Não tenho mais nada a acrescentar, somente meu aval e total concordancia com o autor. O texto completo pode ser lido aqui: http://guerreirosdaluz.com.br/?p=148

“Quem assiste às piadas sem graça de programas como Zorra Total, A Praça é Nossa ou Show do Tom e conclui que o humor brasileiro vem padecendo de falta de criatividade precisa conhecer uma categoria nova de comediantes que atua em outras frentes. Padre Quevedo? Henri Cristo? Nenhum deles é páreo para o Pastor Francisco Vieira, que faz uma verdadeira romaria pelas igrejas evangélicas brasileiras narrando a saga do seu personagem mais famoso, o Ex-bruxo Tio Chico.

Para quem nunca ouviu falar no ex-bruxo Tio Chico, recomendo uma visita ao You Tube ou a aquisição, por R$ 25,00, de seus DVDs de testemunho. O preço é salgado, mas é riso garantido. Francisco teria nascido em 18 de setembro de 1960, estando no momento com 47 anos. Se os cineastas brasileiros fossem mais atentos, a sua vida renderia um longa-metragem capaz de deixar Steven Spielberg no chinelo. Forrest Gump não tem a mesma riqueza dramática.

Um truque ainda não desvendado é como Tio Chico fazia para sair do Brasil, só para atender aos caprichos da sua exigente mulher e, almoçar em Miami, e voltar no mesmo dia. Só para se ter uma idéia, o maior avião comercial do mundo, lançado após a era Tio Chico, chega a fazer 1.010 km por hora. De São Paulo a Miami, por exemplo, são 6.561 km. Para ir, sem escala, considerando o exato momento de embarque e desembraque da aeronave, Tio Chico e sua garota gastariam 13 horas para realizar este pequeno luxo. Considerando o passeio de táxi até o aeroporto, espera do vôo, revista, saída do aeroporto, entrada no restaurante, pedido e o ato de comer em si, no mínimo mais uma hora.

O maior troféu de Tio Chico é a apresentadora Xuxa, da Rede Globo (emissora que se valia de seus préstimos também). Ele garante que a Rainha dos Baixinhos realizou três pactos com o Coisa-Ruim, para se tornar famosa e rica. O generoso Tio Chico teria intermediado o negócio. Não se sabe quanto lucrou nesta transação.”

Vale a visita e leitura de todo texto. E você ai, vai ficar aceitando tudo que te ennfiam goela abaixo?

Oséias 4:6: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento…”

“Por isso cito aqui o orgulho deste corpo ministerial, que não compreende que Jesus não disse ao ladrão que ele deveria descer da cruz e cumprir tal doutrina para então ser salvo posteriormente. Antes, Ele o salvou porque aquele ladrão, olhando em seus olhos, o amou intensamente reconhecendo que Ele não era “um” rei qualquer, mas que ele era O REI JESUS. E mesmo que alguém venha dizer: “..mas a situação do ladrão foi uma exceção…”, pois bem meu meus irmãos, isso seria mais um motivo para acreditarmos que para amar, de forma plena, às vezes precisamos quebrar as regras. As regras do orgulho, as regras da doutrina humana e até as regras da própria razão, pois, de fato, nenhum destes sentimentos correspondentes destes últimos itens (orgulho, doutrina e razão), têm poderes suficientes para rasgar as nuvens e adentrar aos céus com a autonomia e a autenticidade dada por Deus ao mais nobre de todos os sentimentos….O AMOR. Por isso, meus caros, Jesus não se ateve a excepcionalidade da situação do ladrão, mas ao fato de que ali pregado, estava mais um ser humano….e onde há um ser humano, vale tudo pra salvá-lo – até deixar o trono e tornar-se como um mero mortal (como ele fez por nós).”

Navegando pela Internet encontrei este texto acima que faz parte da carta de desligamento de um irmão da Congregação Cristã no Brasil. O texto é fantástico e, apesar de expressar sentimentos particulares acerca de uma determinada denominação, contém verdades maravilhosas. Vale a leitura completa do mesmo que apesar de longo, merece ser lido até o final.

O texto se encontra aqui: http://ministeriodareforma.com.br/?p=35 – lamentavelmente a página foi tirada do ar 😦

Vez por outra nos pegamos analisando ou até mesmo discutindo sobre qual a verdadeira Igreja de Jesus Cristo. Uns chegam até mesmo a levantar teorias absurdas, usando de documentos forjados ou criados segundo sua própria vontade para se proclamar verdadeira, santa e única. De fato esta é uma discussão que leva, em alguns casos extremos, a absurdos inimáginaveis para uma pessoa que se diz cristão. Exageros a parte, gostaria de deixar aqui minha opinião sobre o assunto. (mais…)

Observe o cartaz abaixo (eu encontrei em um site na internet, não sei onde foi veiculado):

Apostasia ou puro sensacionalismo?

(mais…)

Com esta manchete o portal Terra (tenta) causar polêmica com a notícia abaixo – trecho:

“A rede de televisão britânica BBC irritou setores mais tradicionais da Igreja Católica ao exibir uma nova imagem da crucificação de Jesus Cristo, segundo o jornal El País. Nela, Cristo aparece com os braços para cima, crucificados em lugar das mãos, e as pernas flexionadas. ”  – grifos meus. Leia notícia completa aqui: http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI2685651-EI8142,00.html

Porque tenta causar polêmica? Primeiro: classifica única e exclusivamente a Igreja Católica como igreja. Segundo: na complementação da primeira, ignora totalmente a opinião das demais igrejas. Eu acho que basta, né?

Utilizei da notícias acima apenas para entrar em um assunto do qual a tempo queria publicar aqui. Certa feita, conversando com uma missionária da igreja ao qual tenho servido ao Senhor ela trouxe uma revelação maravilhosa sobre tal assunto: porque não carregamos ou temos um crucifixo.

Durante sua explanação, ao mencionar que tal indagação surgiu de um colega de trabalho, ela fez a seguinte pergunta ao mesmo:

“Se um dia você tivesse um irmão ou qualquer outro parente assassinado por uma arma de fogo, você queria ter pendurado em sua sala ou carregaria em seu pescoço tal arma? A arma que foi utilizada para tirar a vida do seu ente querido seria venerada por você?”

Ora, temos em Jesus a salvação eterna, mas tal salvação só foi possível através de um sacrifício e este envolvia a cruz. Ou seja, quem deveria estar lá era eu e você, não Ele. Mas Deus se fez pecado em nosso lugar (Gálatas 3:13) para nos resgatar do pecado.

A cruz era sinal de maldição. E que prazer teria eu hoje em cerregar um crucifixo, ainda que vazio? Ter em minha sala a arma que fez o Senhor padecer a pior das dores em meu lugar?

Tudo bem que o que levou Jesus à morte e sofrimento não foi a cruz em sí. Ela foi tão somente um agente, dentre tantos outros. Pois Ele estava lá pelos meus e os seus pecados, pagando por eles, sofrendo por eles.

Ou seja, pouco importa se querem fazer a cruz reta, torta, mais pra cima, mais pra baixo. O que importa é não se aproximar de algo que “matou” o meu Senhor.

Devemos sim olhar para Jesus, autor e consumador da fé (Hebreus 12:2), mas com os olhos da fé, aguardando ardentemente o dia de Sua vinda para nos buscar e nos conceder morada eterna ao lado do Pai!

Deus nos abençoe em Cristo.

Uma das coisas que mais me chama a atenção em servir a Deus é a liberdade. Pode ser algo meio contraditório ao se analisar sob a ótica humana: um servo livre! O termo servo já é, por si só, carregado de coisas negativas.

Temos na história do Brasil tristes lembranças da época da escravidão onde cada escravo era um servo. Quando olhamos por este ponto a impresso que temos é de uma pessoa que teve sua liberdade cerceada, seu direito à vida própria anulado enfim, o servo deve-se viver a vida que seu senhor lhe ordena, da forma como lhe apraz.

Entretanto com Deus é tudo diferente. Primeiro que só O servimos se o quisermos. Ele nos chama (Apocalipse 3:20), mas cabe a nós escolher se aceitamos ou não o convite. Uma vez aceito, ou seja, uma vez entregue sua vida para Deus, a liberdade nos é oferecida. Sim, livres do mal, do pecado, das paixões deste mundo.

Antes de me converter eu tinha em mente que o crente era uma pessoa carente, que nada podia e que tinha que viver uma vida miserável, guiado por um Deus austero e vingativo (você peca, Deus te castiga). Atire a primeira pedra quem nunca pensou assim.

Hoje vejo que isso não é verdade. Ao contrário, tudo é diferente. Eu sirvo a Deus, ou seja, O tenho por meu Senhor por amor. Mas o mais interessante disso tudo é que o próprio Deus me amou primeiro (1 Jo 4:19). Em resumo: Deus me amou, entregou Seu Filho para morrer por meus pecados e por isso eu amo a Deus e o sirvo. Em liberdade!

Quer também experimentar essa sensação de ser um servo livre? Entregue-se a Cristo! Basta reconhecer Seu imenso Amor e viver a vida que Deus tem para você. Não sabe como entregar sua vida a Deus? É muito simples. Sozinho, aí onde você está, ore a Deus assim:

“Deus, reconheço que sou um pecador e preciso de seu perdão. Sei que o Senhor me ama e quero experimentar este tão imenso amor. Entrego minha vida ao Senhor, reconhecendo a Jesus Cristo como meu único e suficiente salvador. Encha-me com Teu Santo Espírito e conceda-me uma nova vida em Cristo.

Em nome de Jesus Cristo, seu Filho. Amém!”

Se você fez essa oração, de todo seu coração, Deus a partir de então passará a tomar conta de sua vida. Eu gostaria muito de orar por você, para que você experimente todos os dias o amor de Deus em sua vida. Escreva para mim que eu terei o maior prazer em te responder e orar por sua vida! Deus te abençoe por esta decisão.

Um grande abraço em Cristo!

Ando meio entristecido com algumas coisas que vejo por aí. Pra ser sincero, muito entristecido. O respeito para com Deus acabou faz muito tempo (isso não é necessário dizer!) mas o que mais me incomoda é que até mesmo dentro das igrejas isso tem acontecido. J[a não se vê tanta reverência como antigamente (e olha que não sou tão velho assim).

Não quero aqui acusar ou julgar ninguém pois estes atributos pertencem ao diabo a a Deus, respectivamente. O que pretendo é apenas externar minha revolta e tristeza diante de tantos absurdos que andam acontecendo. É claro, sou homem e como tal estou sujeito aos mesmos erros.

Uma das coisas que mais me deixa indignado nos dias atuais é o fato de as pessoas – e eu digo isso me referindo a líderes religiosos – acharem que Deus é seu servo. Ou seja: Deus tem que me dar um carro/uma casa/uma esposa/um emprego/etc…  Ah, se Deus não fizer eu paro de ir à igreja(!). Meu Deus, quanta aberração!

Deus abençoa sim aos seus filhos e nisso Ele tem grande prazer. Entretanto existem princípios para isso, e princípios devem ser observados, seguidos.  Quer um exemplo bem prático? Vamos lá!

No capítulo 6 de Mateus, na primeira parte do versículo 33, Jesus conversando com seus discípulos os exortava exatamente sobre isto, dizendo: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça…”. No contexto deste relato vemos que o Senhor estava os orientando a respeito das inquietações da vida. Certamente havia no meio deles alguém preocupado com as contas a pagar, com os problemas cotidianos. Coisa normal de qualquer ser humano, mas o ponto crucial desta mensagem é justamente isso: crer que ao se viver uma vida de comunhão com Deus, buscando sempre em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça, o próprio Deus se encarrega de cuidar de nossa vida. Quero dizer com isso que ao se buscar uma vida com Deus, devo cruzar os braços e esperar as coisas acontecerem?

De maneira alguma, seria loucura eu incentivar tal coisa ou qualquer pessoa se dispuser a fazê-la. O que o Senhor nos ensina aqui é que eu não preciso brigar com Deus para obter algo, fazer chantagem emocional, ameaçá-Lo ou seja lá o que for mas ao contrário, tão somente ter uma vida de comunhão com Deus. Note bem que o Senhor Jesus ao se referir ao reino de Deus de imediato afirma que juntamente com este devemos buscar também sua justiça.

Trocando em miudos: o reino de Deus beneficia a mim, a justiça de Deus, aos que estão ao meu redor. Não adianta eu ter um viver santo com Deus, beneficiando somente a mim mesmo, se tenho agido injustamente com meus irmãos, amigos, vizinhos…

Já ví e ouvi vários pregadores, das mais diversas denominações pregarem mensagens baseadas neste versículo. Uma mensagem mais bonita que a outra. As pessoas se emocionam, choram mas todos, eu disse TODOS, se atêm somente na última parte do versículo, onde diz que todas as coisas nos serão acrescentadas. Mas quais são aqueles que estão dispostos a terem uma vida de compromisso, pagando o preço de seguir a Deus fielmente e, sempre, em primeiro lugar, buscar a Deus sobre todas as coisas? É aí onde o sapato aperta.

Tá afim de ser abençoado? Cansado de se preocupar com as situações da vida e não ver uma solução? Quer de fato viver uma vida próspera e cheia de bençãos para contar? Pague o preço! Mas que preço?

“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas”. Mateus 6:33

Ou prefere chantagear a Deus e correr o risco de, além de não conseguir a vitória, ficar de fora de Seu reino? Lembre-se: você sem Deus é nada, Deus sem você… continua sendo Deus!

Faça uma análise de sua vida, de seus atos e atitudes. Veja se o erro para tanto problema está em Deus ou em você mesmo.

Um grande abraço no amor d’Aquele que nos amor em primeiro lugar.